A medalha de prata e o consciente popular

A medalha de prata e o consciente popular

Então, acabaram as olimpíadas e quando tudo indicava que nessa edição o Brasil sairia com a medalha de ouro, a glória maior foi roubada pelos mexicanos em uma vitória por 2x1 na final, frutrados, os jogadores brasileiros saíram de campo carregando a medalha de prata e uma senesação amarga.

Neymar, Brasil perde na final das olimpíadas de 2012

Falando sobre o jogo final, em menos de 1 minuto a seleção olimpica do México abriu o placar, aproveitando uma falha individual quando o lateral Rafael recuou a bola para a própria intermediária defensiva, onde um jogador mexicano marcava o passe, o atleta roubou a bola e aproveitando a defesa ainda desarrumada conseguiu espaço e finalizou marcando o primeiro gol do jogo.

Essa vantagem inicial era tudo o que os mexicanos mais queriam, daí até o final do jogo o México adotou uma postura de contra-ataque, sem abster-se do ataque. O Brasil detinha o controle da bola, e tentava criar jogadas mas eram frustrados por uma marcação bem feita, através de zonas de marcação equilibradas e coberturas bem posicionadas, o Brasil teve muita dificuldade para encontrar espaço para o último passe e para o chute.

Taticamente, a seleção brasileira iniciou o jogo em um 4-3-2-1, diferentemente do esquema que foi usado na maior parte da competição e mesmo nos amistosos que a antecederam, quando o time usava o 4-2-3-1. Antes do fim do primeiro tempo, Hulk entrou em campo e o time voltou ao seu esquema 4-2-3-1 e a partir deste ponto apresentou maior volume de jogadas ofensivas.

Durante o segundo tempo os brasileiros permaneceram no comando do jogo, atacando mais, contudo, sofriam mais ameaças nos contra-ataques armados em velocidade, com poucos toques na bola os mexicanos conseguiam aproveitar os espaços deixados na retaguarda do Brasil, conforme o tempo passava, esses espaços aumentavam ainda mais, em uma jogada ensaiada no escanteio os mexicanos ampliaram o placar com Peralta de cabeça.

Próximo ao fim do jogo, Hulk descontou fechando o placar em México 2, Brasil 0. Fim do jogo e tem início a "caça as bruxas".

É claro que o povo brasileiro queria aquela medalha de ouro, o Brasil era favorito mas no fim, mais uma vez tiveram que se contentar com a medalha de prata, e lá vem as críticas.

Em especial o técnico é o primeiro a sofrer. Antes mesmo do início da competição, muitos já especulavam que o treinador Mano Menezes somente manteria seu cargo se vencesse as olimpíadas, logo após a derrota pro México, em meio aos "elogios" que o técnico recebeu já falavam em novos nomes para treinador da seleção brasileira, visando a Copa do Mundo daqui a 2 anos.

Depois, criticam a equipe e em especial o jogador que figurou como protagonista Neymar, não consideram as várias boas apresentações que ele fez nas olimpíadas, nos amistosos, e no próprio Santos, criticam então o cabelo, o salário que ele ganha o estilo de vida que mantém, o cham de mercenário, etc. Eu não vou sequer comentar isso, o jogador é um profissional e deveria ser avaliado pelo que faz em campo e não fora dele, o que importa o quanto ele ganha ou a forma que ele gasta? O fato é que ele já demonstrou a sua capacidade como jogador.

Essa equipe não conseguiu a medalha de ouro, assim como várias outras equipes olímpicas brasileiras também não conseguiram, a maioria sequer chegou a final da competição, se essa equipe merece ser ridicularizada por ser vencida na final, estamos ridicularizando também todas as décadas anteriores do futebol brasileiro que também não obtiveram a glória maior nas olimpíadas.


Naturalmente foi frustrante a medalha de prata para o país do futebol, mas o que dizer então de outras seleções tradicionais que fizeram péssima campanha ou mesmo não conseguiram chegar as olimpíadas? Atingir o segundo lugar entre todos os países do mundo é ruim? Isso não faz sentido.

Futebol aqui é levado muito a sério, às vezes, até mais do que se deveria e de forma equivocada, enquanto o brasileiro tolera e assiste calado a corrupção em todos os níveis sociais e em todas as escalas imensuráveis, ele explode em raiva quando as coisas no futebol não dão certo.

O brasileiro tem essa idéia de oito ou oitenta, ou você vence e é o melhor ou tudo foi um fracasso independente de sua campanha, não creio que isso vá mudar, só acho muito triste que o atleta brasileiro seja mais valorizado fora do país do que em sua própria nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário